Resenhas de jogos de RPG Maker – e coisas relacionadas

The Elemental Charmers

The Elemental Charmers 2

Deuses, Intrigas e um Pirralho para Atrapalhar Tudo! em RPG Maker VX Ace

Criador: voooldo

Resenha: Eurritimia

Introdução

Esse jogo, caso vocês tenham visto o tópico, é o quinto de uma série de jogos feito pelo mesmo criador.  Não sei se o que vem a seguir é um resumo do jogo ou da série completa, mas tomem isso como guia:

A trama principal gira em torno do confronto entre Gaia e Devon, dois planetas governados por Deuses diferentes. Devon está a beira da destruição, e seu deus, Chaos, pretende invadir Gaia e fazer dele uma espécie de colonia para os habitantes de Devon.
Mas a Deusa de Gaia convoca 4 guerreiros e juntos com os Elementais, lutaram para defender seu planeta com unhas e dentes.
Enquanto isso, uma guerra entre os continentes estoura, colocando em risco Gaia e toda a vida do planeta.

E um aviso: este jogo contém vários links para TV Tropes.

Tela Título

A tela título é bem bonita com imagens que mudam e com uma música que parece Evanescence.

A imagem de fundo muda após alguns segundos

Começo do Jogo

Um sujeito completamente vestido de cinza caminha até o centro da tela. Ele tem algo a nos dizer:

Obrigado, Obrigado…

Olá, eu sou o Marcel. Sei que é uma forma inusitada de se começar um jogo, mas… fuck it… Eu faço o que eu quiser. (Nem é tanto assim, eu diria. Mas foge à media.)

Bom, na verdade eu só vim aqui para fazer algumas perguntas…

Primeiro: você deseja que eu (ou, nesse caso, meu avatar) participe do jogo? (OMG!) Eu faria várias piadinhas de metalinguagem que quebram a quarta barreira, ou seja, posso conversar com você, jogador. Pode ser divertido ou pode quebrar a imersão

Todos os jogos deveriam ter essa opção.

Pois bem, me procurem por aí…

A segunda pergunta é: deseja ver a abertura ou ir direto para o jogo? (Obrigações morais me fazem ter de assistir à abertura antes de jogar.)

Bom… Lá vamos nós…

Tela fica preta e o planeta Terra aparece.

Texto rolante aparece:

Gaia…

Planeta de verdes campos, grandes oceanos, lendárias montanhas…

Um lugar ideal para se viver.

Tela muda para um outro planeta, mais marrom:

Devon…

Consumido pela ganância de seus habitantes, Devon está a beira da destruição…

Imagem de dois planetas, um com tons de amarelo e o outro com tons de azul, com uma lua entre eles:

Dois planetas diferentes e distantes.

Porém, com um destino em comum.

Uma imagem de um sujeito assustador, com pinta de vilão extremamente poderoso:

Chaos, deus de Devon, ao perceber que o futuro de seus filhos estava condenado, inicia um processo para invadir e conquistar Gaia.

Esse aí é Chaos.

Imagem de quatro jovens que vão salvar o mundo aparece:

Porém, Gaia não pretende permitir tal invasão.

Os Elementais, guardiões de Gaia foram acordados e junto com quatro bravos guerreiros, pretendem defender seu planeta com unhas e dentes…

Eles são conhecidos como…

The Elemental Charmers!

Uma imagem de ilhas coloridas aparece:

Gaia é dividido em continentes, sendo cada continente representado por uma cor.

E cada cor, um reino.

São eles: Lancaster (Azul), Tallenclaw (Vermelho), Yamasora (Amarelo), Eden Woods (Verde), Frostmine (Branco) e Al Gajar (Marrom).

Após o príncipe de Tallenclaw ser covardemente assassinado durante sua cerimonia de casamento, a união que tinha como objetivo unir os dois maiores reinos de Gaia se transforma no estopim de uma guerra que pode colocar em risco a vida de todos os seres vivos do planeta. (Ótimo, não basta um sujeito invadir o planeta, este precisa estar dividido por guerras?)

Agora vemos o mar:

O Continente Azul…

Conhecido por sua riqueza e cultura.

Lar de grandes  cientistas e estudiosos. A Cidade-Capital Lancaster sustenta sozinha, praticamente, toda a economia de Gaia.

Itens dos mais diversos entram e saem pelos portos de Lancaster ou de LaRulia.

Governado por Lancaster XI, a Cidade-Capital é protegiga por fortes muralhas naturais e artificiais.

Estrategicamente localizada entre duas cordilheiras de montanhas, o acesso a Lancaster é praticamente impossível. (Mas e o porto da cidade?)

A menos que você seja convidado! (Mas…)

Mas mesmo com toda a segurança, nos últimos dias paira um certo temor no ar…

Belo mapa

Pássaros voando sobre as montanhas enquanto a tela desce para a floresta temperada.

Vemos uma imagem de uma vila:

As ruas do mercado, geralmente movimentadas, estão vazias e silenciosas.

Os moradores se refugiaram em suas casas, esperando a confirmação da inevitável guerra.

No castelo, o Rei Lancaster XI recebe um mensageiro de Tallenclaw.

Um soldado caminha lentamente em direção ao trono. Há um grupo de pessoas esperando por ele.

Guarda anunciando a presença de um mensageiro de um outro reino.

Ótimo… Peça para ele entrar.

Sim, Majestade!

Que entre o mensageiro de Tallenclaw!

O mensageiro entra.

Ola, Phoema. E então? (Que intimidade com um mensageiro de outra terra…)

Olá, Vossa Majestade. Acabamos de receber um pombo-correio de Tallenclaw. (Aaaaaah sim!)

Como esperávamos, meu rei não o perdoará pelo assassinato de seu filho. (Hã? Mas ela é ou não é mensageira de Tallenclaw?)

Mas você explicou que eu não tenho nada a ver com esse crime? (Aham, e isso vai adiantar muito)

Sim, Majestade. Mas ele está irredutível.

Entendo… Então quer dizer…

Quer dizer que Tallenclaw declara oficialmente guerra a Lancaster. Vocês podem esperar um ataque em breve! (Se ela for do reino adversário, não espere sair viva daí…)

Todos ficam surpresos com a declaração.

Não se preocupe, General Bleu… Eu sou apenas um mensageiro. Não tenho ordens para atacar o rei. (Aí uma lição pra se aprender. Se ela quisesse MESMO atacar o rei, este já teria morrido. Por um outro lado, se ela matasse o rei antes de anunciar suas intenções, isto já daria uma imensa vantagem ao adversário e começaria uma guerra ali mesmo)

Está tudo bem, Bleu… Eu confio na senhorita Phoema. (!)

General recua para perto do Rei.

Bom… já estávamos esperando por isso, não é mesmo?

Sim, Majestade. Eu sinto muito. Sei que Vossa Majestade é um bom rei… Mas…

Não precisa se explicar. Você não tem culpa.

Mas agora eu peço que se retire  dos meus aposentos. Infelizmente, a partir de agora, somos inimigos.

Você tem uma semana para sair de Lancaster. Após esse prazo, será considerada uma ameaça ao reino e tratada como tal.

Sim, Majestade… Eu compreendo. Partirei hoje mesmo. Muito obrigado por sua hospitalidade.

Sei que não adiantará em nada, mas dê minhas condolências ao Rei Marco.

Pode deixar, Majestade. Até um outro dia.

Mensageiro deixa o recinto.

Poderíamos mante-la prisioneira, Majestade. Ela seria um ótimo objeto de barganha. (Foi o que eu disse lá em cima!)

Não, meu caro Locke… Atacar um mensageiro é a coisa mais baixa que um reino pode fazer. (…)

Se ela não cumprir o prazo, então tomaremos as medidas cabíveis.

General Bleu.

Sim, Vossa Majestade?

Estamos em guerra. Precisamos nos preparar…

Sim, Vossa Majestade!

Bleu se aproxima do guarda.

Guarda!

Sim, General?

Reuna os líderes militares. Teremos uma conferência no Salão de Reuniões.

Aye, aye, General! (Estou começando a gostar desse guarda!)

Guarda sai da sala real enquanto tela escurece.

Em um lugar bem distante dali…

De castelo medieval passamos para laboratório futurista

Um sujeito loiro de chapéu se aproxima das telas verdes e senta na cadeira.

Ei, Azulão, responda…

O que foi, Maurice?

O Chefão quer falar com você imediatamente.

Tsc… O que ele quer agora?

Não sei… Mas… de alguma forma, ele parecia contente.

Será que ele finalmente conseguiu?

Certo… Me teleporte para a Fenrir.

Deixa comigo!

De volta a Gaia…

Agora fomos para um navio

Mas ao menos vou conhecer o famoso Continente Azul!

Vamos entrar, Isaak. Uma tempestade se aproxima…

Sim, Capitão. (Humm, achei que o tal Isaak fosse o capitão do navio.)

Dentro do navio…

...Para nossa alegria!

E… acabou o vinho!

Leon sai de onde está e caminha pelo quarto.

Poxa vida, que tédio…

Leon caminha em direção ao seu companheiro.

Ei Mist, o que você está fazendo?

Eu estou lendo… Não está vendo? (O outro vai reclamar em 5, 4, 3…)

Eu estou entediado! Vamos fazer alguma coisa? (Quantos anos ele tem?)

Novamente: eu estou lendo… Não está vendo?

Lendo? Ler não é coisa de menininha? (Procurei um trope a respeito, mas não encontrei)

Vá se fuder… (Olha a boca, menino!)

Fica aí lendo então… que vou dar uma volta!

E finalmente passamos a ter controle no jogo.

Menu

O menu é bem típico de um jogo de RPG Maker:

Um dia eu hei de fazer um post explicando o menu genérico, mas enquanto este dia não chega, fique com esta imagem.

Não há nada realmente digno de nota aqui se você já jogou inúmeros jogos de RPG Maker. Vocês podem ver o equipamento e notar que o personagem segura uma espada curta em uma mão e uma pistola em outra. E que uma habilidade, Invocar Elemental da Água, não tem uma descrição.

Na estante de livros, achei 100G. Na estante de pães perto da pia, achei três Poções Pequenas.

Saí do navio para Narshe (a primeira vila do Final Fantasy VI).

Fora de casa, encontro um mendigo dormindo e Marcel.

Oi, eu sou o Marcel. Sou o programador desse jogo.

Programador? Jogo? Do que você está falando?

Você não entenderia… Em todo caso, como sou onipresente e mais poderoso do que Gaia ou Devon ou, nesse jogo, Deus, você e seus amigos me encontrarão em diversos lugares… Não vou interferir no seu mundo ou mesmo na jornada do jogador…

Mas estarei disposto a dar dicas que podem ajudá-los.

Antes que você me pergunte, não, não vi nada de estranho ontem a noite… Mas talvez aquele bêbado perto das caixas tenha visto.

E digo mais… No começo de sua jornada eu recomendo que você roube muitos itens dos inimigos… Acredite, você vai precisar…

Tá… Valeu…

Leon se afasta

Eu hein… Sujeito estranho…

Perto de Marcel tem um furry rosado:

Olá, Leon…

Oi, Neko. Tranquilo?

Sim, sim… E aí o que vai ser hoje? (Comprar / Serviços / Nada)

Serviços é uma opção para revelar quests.

Ótimo! Hoje eu fiquei sabendo que uma garotinha foi sequestrada por um grupo de bandidos.

A família está oferecendo 500G como recompensa. Está interessado? (Sim / Não)

Ótimo, ótimo… A garotinha mora aqui perto… Talvez alguém tenha visto o que aconteceu durante o sequestro.

Oi gente, estou em cima das caixas!

Dei uma procurada pela casa da garota. Não consegui encontrá-la, então fui conversar com o bebâdo.

Mendigo: zzz

Ei, velhote…

Mendigo: zzzzzz

ACORDA, VELHO LAZARENTO!

Mendigo: !

Mendigo: Que foi, cacilda!

Uma garotinha foi sequestrada por um grupo de bandidos ontem à noite… Você sabe de alguma coisa?

Mendigo:Talvez sim… talvez não… Se eu te contar o que eu vi, você me dá uma garrafa de vinho?

Talvez sim… talvez não… (Gostei da resposta!)

TALVEZ EU CHUTE SUA BUNDA TÃO FORTE QUE VOCÊ TERÁ QUE FAZER SUAS NECESSIDADES PELO NARIZ!!! (Eita!)

Mendigo: !

Agora me diga o que você sabe antes que eu perca a paciência… (Ae, botando banca!)

Mendigo: Tudo bem, tudo bem… Eu estava aqui na minha caixa… err… lendo… quando ouvi um grito de uma menina… Isso é comum por aqui, mas como sou curioso, decidi dar olha olhada….

Mendigo: Eram mais ou menos cinco homens muito do mal-encarados… Pegaram a menina e entraram nos esgotos…

Entendi… Bom, pega aí uma moeda pra tomar uma caneca de rum mais tarde. (Esperem… o protagonista dando esmola pra cachaceiro? Isso não me parece muito heróico, mas vivemos os dias de anti-heróis)

Mendigo: Ohhh… Gaia te pague!

Só pra mostrar que Leon realmente deu dinheiro ao mendigo.

Não demorei muito a encontrar o lugar para se entrar nos esgotos.

Deseja entrar?

Dentro do Esgoto

Absurdly Spacious Sewer

Logo as batalhas vieram em minha direção:

Slimes apareceram.

Não tive a menor dificuldade de derrotá-los.

Tela de vitória

Continuei caminhando e enfrentando inimigos até chegar nesta parte:

A fadinha é um save point.

Ops! Me viram!

Pensei em narrar a batalha, mas ela é rápida demais pra eu ficar narrando exaustivamente. Basta dizer que eu roubei um item no primeiro turno e ataquei nos turnos seguintes. Aliás, foi exatamente o que eu fiz nas batalhas anteriores.

Após derrotá-lo, voltei para a fadinha, segui adiante e enfrentei mais um bandido.

Adivinhe quem venceu a batalha.

Tentei lutar uma segunda vez.

Eu atacando like a boss.

Uma mosca que me causou game over.

Entrei na sala em que o bandido guardava e enfrentei inimigos, mas antes atenção a isto:

O slime usa uma carta para te atacar.

Enfrentei mais slimes e mais dois bandidos:

Morri.

Conclusão

E esta análise nem de perto chega em partes importantes do jogo. Sequer consegui ver a garota que preciso resgatar. Com um pouco de treinamento, seria possível derrotar os dois bandidos acima e prosseguir no jogo.

No mundo de Gaia, ao contrário de qualquer outro mundo de fantasia, é extremamente perigoso para uma criança ir sozinha salvar o dia.

Estatísticas

Saves Utilizados: 1
Personagens Jogáveis: 1
RTP? Só o chars dos Espectros e um ou outro objeto.

Batalhas Aleatórias:

Sim e Não

Game Overs:

3 vezes

Erros de Português:

Praticamente inexistentes

Gostei:

Marcel, cidade que parece a do FFVI, gato rosa

Não Gostei:

Introdução longa (mas dá pra pular), inimigos um pouco difíceis

Não Cheguei A:

Encontrar os tais Elementais Charmers (1)

Nota

1.

O autor me disse que tanto Leon quanto Mist são Elementais Charmers.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: