Resenhas de jogos de RPG Maker – e coisas relacionadas

Pokemon Island

Um fã-game de Pokémon para RPG Maker XP, criado por: FL e resenhado por Eurritimia.

Introdução:

“Olá e seja bem-vindo à Pokemon Island.

Meu nome é Oak.

As pessoas me chamam de professor de pokémon.

Antigamente a Pokémon Island era uma ilha só de pokémon.

Haviam pouquíssimas pessoas, dentre elas eu! (Haver no sentido de existir é impessoal!)

A maioria eram pesquisadores como eu.

Nós estudávamos os pokémon da ilha. (Pessoalmente gosto de usar plural pra pokémon, embora em inglês a palavra não tenha)

Entretanto, há três anos aconteceu algo especial.

Foi comprovada a existência do pokémon MEW na ilha.

Como esse era um pokémon muito raro, atraiu uma multidão. (Corrida do ouro para o Mew)

A maioria eram treinadores que buscavam o MEW.

Logo a ilha se encheu de treinadores.

Muitos deles eram bastantes habilidosos e famosos.

Então outros foram para essa ilha desafiar eles.

Logo a ilha virou um ótimo ponto de encontro de batalhas.

Muitas pessoas organizaram vários torneios.

E outras foram para a ilha só assistir.

No decorrer dos anos aconteceram muitas coisas.

Foi criado um  grande local de batalha: O Coliseu.

Os treinadores eram classificados conforme venciam lá.

Aqueles que ganhavam tinham um Rank alto.

Eles tinham vários tipos de tratamento exclusivo!

Seja melhores itens, pokémon, locais, serviços, etc…

Muitos novos pokémon foram descobertos na ilha.

Outros foram soltos por treinadores. (E o ecossistema local?)

E até alguns foram para lojas. (Até os pokémons quiseram ver a agitação que está rolando na ilha)

A maioria dos novos pokémon vivia nos novos locais.

Que, por sua vez, foram descobertos por exploradores.

E alguns foram criados para aumentar a diversidade. (Ninguém mais pensa no ecossistema?)

A diversidade de pokémon que crescia cada vez mais. (Com elementos alienígenas ao ecossistema local…)

Bem maior do que tinha quando cheguei. (Aparentemente nenhum pokémon concorre entre si para busca de alimentos)

E essa é a história desse lugar. (Ufa, acabou!)

A Pokémon Island.”

Escolha seu personagem

Como vocês logo verão, podemos escolher oito (eu disse oito) personagens:

Which one am I gonna take?

Escolhi a loira, que se chamou de Vanessa.

Não, meu nome é Eurritz.

A jornada de Vanessa na Pokémon Island vai começar agora! Não perca na próxima sessão!

O início da jornada

Estou num lugar amplo, um laboratório. O local é claro, possui escrivaninhas e estantes. À minha esquerda, um aparelho de estruturas complexas repousava silenciosamente em seu canto. À minha direita há seis pokébolas enfileiradas em uma mesa.

Tentei sair do laboratório mas fui persuardida a escolher meu pokémon.

Eu escolhi um pokémon.

Quando fui sair do laboratório, fui abordada por um sujeito de azul, que parecia ser um policial. Ele riu suspeitosamente para mim, disse que me viu escolhendo meu pokémon e disse que vai escolher um também. Qualquer viciado em Pokémon sabe que ele vai escolher o Totodile, que é o pokémon com tipo superefetivo contra o meu da mesma geração. Mas em vez de ele me desafiar ali mesmo, ele me convidou para a Arena.

Professor Oak me perguntou o nome dele:

Entendedores entenderão.

Recebi cinco Poké Balls e a Pokédex.

Um dos cientistas falam sobre Pokédexes regionais, o que não fez nenhum sentido, já que eu recebi a Pokédex nacional. Outros dão mais detalhes sobre a ilha ao meu redor.

Saindo do laboratório sou abordada por um sujeito que se parece com o Elvis. Ele me pergunta se sou novinha. Eu digo que sim e ele responde: “que isso”. Na verdade ele é um guia turístico e me mostra as principais atrações da cidade. Se você é viciado em Pokémon, não vai conseguir prestar atenção no que ele diz; se não for, sequer vai ter baixado o jogo. Então o que temos de fazer é passear pela ilha.

A Ilha de Pokémon

“O que temos para fazer na ilha então?”, você me pergunta. Bom, primeiro vamos à Estação de Trocas Locais, mas como só tenho um pokémon, acabei saindo de mãos vazias.

Poste na frente da placa

Fui então ao Shopping de Pokémons, que é um lugar onde se compra pokémons. Pude escolher entre Rattata, Nidoran, Sunkern, Tyrogue, Seedot, Taillow, Kricketot, Combee e Purrloin. Não deu pra comprar nenhum, pois cada um custa £2000 e eu tenho apenas £1800.

A Creche Pokémon só aceita pessoas no nível 6 ou maior.

Na Escola Pokémon aprendemos o que já sabemos sobre as batalhas.

O Pomar de Berries só pode ser utilizado por nível 4 ou superior.

Com toda essa exclusão social, só me resta ir à Arena enfrentar o Dattz.

A minha primeira batalha pokémon.

Trinta segundos depois:

Felizmente em jogos de Pokémon não tem game over.

Achei que fosse parar no hospital e perder dinheiro igual aos Pokémons de verdade, mas felizmente fiquei parada no mesmo lugar, pronta para desafiar o treinador novamente.

Na segunda revanche venci o Dattz. Ele falou qualquer coisa que os treinadores pokémon dizem quando perdem e me deixou seguir meu caminho.

Fui para o Coliseu Pokémon, esta sim a grande atração da ilha.

Coliseu Pokémon

Tenho de ganhar cinco batalhas.

Primeira batalha com o Almighty Janitor

O pokemon do cara foi… um Magikarp nível 1! Pelo menos uma batalha nós venceremos!

Segunda batalha: Preschooler Mimmy com Sunkern nível 1. Pra quem não sabe, Sunkern tem os piores status de todos os 690 pokémons.

Terceira batalha: Preschooler Shinnosuke com Wurmple nível 2.

Quarta batalha: Waitress Betty com Cleffa nível 3.

Quinta batalha: Backpacker Ginko com Timburr nível 4.

Apertando Enter uma quantidade razoável de vezes me fez ganhar as batalhas, exceto da última. Mas pelo menos tive um lucro (irrisório) nas batalhas, já que meu saldo final foi de £73.

Passeando pela cidade encontrei o Centro de Teletransporte, que te teleporta para locais pré-estabelecidos.

A Praia

A praia parece estar vazia, mas ela esconde vários pokémons e treinadores. Meu pokémon de fogo é particularmente fraco contra os exemplares típicos do lugar. Consegui capturar um Pidgey. Como não tenho muito o que fazer, acabei treinando um pouco o Pidgey. Ele derrotou facilmente um Hoppip, mas quase morreu ao encontrar uma Pikachu na praia. No entanto, o próximo pokémon tratou de dizimar meu Pidgey.

Acabei treinando um pouco mais. Tenho um Pidgey e uma Pikachu no nível quatro e um Cyndaquil no nível 9, prontinhos para derrotar aqueles treinadores nível 1. Não tive nenhuma dificuldade em derrotar os seis com meu Pidgey. Agora meu ranking é de nível 2.

Mercado Pokémon

Não confundamos com o Shopping de Pokémon. Aqui nós compraremos itens para nossos amados bichinhos. Apenas o segundo andar está disposto a me vender itens, contudo.

De Volta Ao Coliseu

Como não tenho mais o que fazer no jogo, resolvo voltar ao Coliseu e derrotar alguns treinadores do ranking 2. No entanto, o valor da inscrição para este ranking é o dobro do preço do ranking anterior.

Primeira batalha: Sage Marco com Hoothoot nível 5. Eu com meu Pidgey garanti uma batalha aérea de Tackles.

Segunda batalha: Dancer Mike com Darumaka nível 5. Minha Pikachu não foi párea para ele. Coube a meu Cyndaquil derrotá-lo.

Vejam só! Eu posso mandar meu Pikachu desmaiado para a batalha. Nem no anime isso acontece!

Terceira batalha: Waiter Alfred Finneon nível 6. Meu Pidgey morreu com dois golpes, não sem antes usar dois Sand-Attacks. Mas de nada adiantou, já que o Cyndaquil foi molhado cruelmente pelo Finneon.

Fui obrigado a treinar mais a minha Pikachu, que subiu até o nível 7.

Aonde eu estava mesmo? Terceira batalha? Com Pikachu foi mel na chupeta derrotar o peixe afrescalhado.

Quarta batalha: Sage Marcos (ué, mas já não enfrentei esse cara?) com Bellsprout nível 7. Cyndaquil fez churrasco de Bellsprout, mesmo este sendo um pokémon planta.

Quinta batalha: Doctor Stanley com Patrat nível 6. Pikachu morreu com alguns golpes, já que estava fraca. Pidgey deu conta do recado.

E esperem! O sujeito tem mais um pokémon: um Solosis nível 6. Não que tenha sido problema para o Pidgey.

Pego mais um pokémon pra treinar? Vou direto para o ranking 3? São tantas dúvidas…

A Caverna

Ao adquirir ranking 2, pude entrar neste lugar, mas só com ranking 3 que tive vontade de passar por aqui. Encontrei um alpinista, um Voltorb e um Diglett.

Pikachu versus Diglett

Este Diglett é digno de nota. Tentei trocar de pokémon e fugir, mas com Arena Trap, isso me mostrou impossível. Tentei usar duas pokébolas que tinha, mas não consegui capturá-lo. Restou-me então esperar pela morte, já que choques elétricos não afetam o pokémon de terra. Fechei o jogo, porque não tenho mais paciência pra isso.

Jogando novamente, fui mais esperto e não deixei a Pikachu na frente. É hora de treinar o Pidgey!

Derrotei um treinador qualquer e tudo ficou bem. Vou explorar o terceiro estágio.

Planície

Nada de mais aqui: enfrentei uns treinadores, derrotei uns pokémons… O importante é que meus pokémons chegaram ao nível 11, prontinhos para chegarem até o ranking 4.

Coliseu parte 3

Primeira batalha: Backpacker Melissa (pode crer que é sobre amor) com Aron (man) nível 8. Cyndaquil usou Ember, mas não matou o bicho. Aron usou Mud Slap, causando crítico e diminuindo minha precisão. Errei os dois golpes seguintes, enquanto ele me atacou e aumentou a defesa. Acertei o terceiro golpe, mas Aron usou Mud Slap novamente, me deixando bem fraco. Felizmente acertei o último golpe e Aron morreu.

Segunda batalha: Clown Thierry com Mime Jr. nível 9. Pikachu usou Thundershock, Mime Jr. aumentou o ataque, Pikachu usou Thundershock, Mime Jr. usou Confusion… Hã? O que está acontecendo? Thundershock! Confusion! O que é aquela coisa amarela com bochechas vermelhas? Urgh, sou eu mesmo!

Cyndaquil assopra umas chamas e fica tudo bem.

Terceira batalha: Slider Keith com Vanillite nível 8. Meu Cyndaquil quase mata o sorvetinho, mas ele ficou chocado e morreu. Pidgey foi lá e acabou com ele.

Swinub nível 9. Sand Attack pra começar. Swinoob usa Odor Sleuth, mas o golpe erra! Tento atacar com Gust, mas contra Powder Snow Pidgey não tem nenhuma chance.

Conclusão

Em Pokémon Island, não há muito o que fazer. O que sobra a você jogador é arrumar um pokémon e tentar a sorte brigando com outros treinadores. Eu poderia ter maximizado meu ranking, mas a estrada até o topo é tediosa.

Estatísticas

Saves Utilizados: 1
Personagens Jogáveis: 1
RTP? Não

Batalhas Aleatórias:

Sim

Game Overs:

Não

Erros de Português:

Nem reparei, jogo é todo misturado inglês com português

Gostei:

Não sei

Não Gostei:

Everything

Você é fã de Pokémon:

Então vai a-do-rar este jogo!

Você é não fã de Pokémon:

CAIA FORA DAQUI!

Anúncios

Comentários em: "Pokemon Island" (15)

  1. Eurrridasuacara com 3 Rs disse:

    Olhando suas resenhas sobre os jogos na MRM acabei ficando com uma dúvida: Você somente joga aquilo que não gosta para ter algo que fazer na vida ou é para tentar sacanear o trabalho de pessoas cuja vida você tem inveja?

    Ah! E por favor nos poupe das suas correções nerds de português… todo mundo que leu já sabe que você é um baita dum chato, então não precisa provar.

    • Gustavo Martins disse:

      Legal nego ficando putinho com isso. É engraçado e isso é o que conta.
      Se leve menos a sério.
      Anyways, Eurri, desistiu do OGM?

      • Desisti ainda não, só tinha me esquecido dele… :/ Mas prometo voltar a jogar em breve!

      • Eurrridasuacara com 3 Rs disse:

        Mais legal ainda é nego fã-clube do eurritimia achando que eu fiquei puto com uma simples resenha quando não fui nem eu que fiz nenhum dos jogos que ele comentou xD
        Só queria ver se algum otário mordia a isca! E cara , não é ‘anyways’, é anyway.

    • Afff, sou fã do Eurritimia pois ao menos ele se dá ao trabalho de jogar e avaliar de verdade os games, não apenas ficar babando pros tópicos… já li reviews dele sobre jogos que eu considerei bom e ele apontou todas as qualidades e defeitos… agora, que culpa ele tem se hoje em dia nego faz qualquer merda e acha que merece ganhar gold medal? E, sim, erros de português irritam QUALQUER maker sério, pois os diálogos são a alma do RPG Maker… e o mínimo que os criadores deveriam fazer é dar uma revisada nos textos…

      • Eurrridasuacara com 3 Rs disse:

        Grande coisa… sempre fiz minhas avaliações de maneira organizada e apontando as partes boas e ruins(óbvio, senão não é avaliação)… só que na minha opinião, seriedade se avalia com seriedade… Pra mim a irônia(se é que se pode chamar isso aqui de irônia) aqui do Eurritmia foi totalmente desnecessária… Irônia também é subjetiva… tem gente que acha graça e tem gente que não acha, por isso prefiro evitá-la. E ainda faltou falar que existem vários lugares para se explorar, inclusive o MAR que é enorme, uma quantidade gigantesca de itens para serem adquiridos e pokémons para serem capturados, de todas versões existentes inclusive)…
        Esse jogo do pokémon island foi um dos melhores do gênero que eu já joguei(feito no rpg maker óbviamente, não vamos comparar com os da NINTENDO, até porque ninguém aqui é profissional no rpg maker e vive disto) e não vejo motivo pra meter o malho nos poucos erros de português(que inclusive vi gente fazendo MUITO pior: http://www.mundorpgmaker.com/forum/index.php?topic=36693.0) quando o cara se deu o trabalho de fazer tanta coisa legal… e ainda oferecer uma segunda língua, mesmo que defeituosa(Só de ver a pontuação e os comentários do tópico lá pra perceber o quanto de gente que gostou do jogo, e não tem NADA a ver com babar.) Sério, se fosse um jogo ruim e cheio de problemas você acha que tanta gente ia falar positivamente assim? Pra mim isso tem um nome: INVEJA. 🙂 ainda mais porque, convenhamos, nunca vi nenhum jogo bom ou ruim feito pelo Eurritimia(se tem, então responde com o link aqui que eu vou avaliar com toda honestidade)… quem pode criticar é quem já fez alguma coisa que preste sendo maker, não? Julgar pelo lado destrutivo é muito fácil quando não é o seu que está na reta e quando nunca conheceu o trabalho de fazer um jogo bem feito até o fim, e de graça ainda por cima…

        E outra: você diz que é fã do Eurritimia porque ele se dá ao trabalho de jogar e avaliar games com precisão… Ah cara, só por isso? E porque você mesmo não joga e depois avalia o jogo de maneira completa no tópico? Não é capaz nem de fazer isso por conta própria? Basta ser organizado e objetivo, é sussa!

        E se alguém aqui quiser rir de verdade e não apenas sorrir, sugiro esse site(eu pelo menos rachei o bico com algumas piadas xD): http://www.piadas.com.br/

  2. ahahahahahahahahah
    Que meninininhas maissssss… sei lá.

  3. Só agora que eu vi os comentários.

    Um fato é que no ramo de entretenimento não dá para agradar a todos, nem os Best-Sellers conseguem.

    Mas é verdade, essa não é a primeira vez que alguém não gosta do meu jogo, algumas pessoas podem achar monótono e acredito que o motivo principal para tanto seja por causa da abordagem. Desde antes do início do desenvolvimento essa era uma das minhas maiores preocupações.

    Diferente dos outros jogos da franquia, neste você tem uma liberdade maior para fazer o que quiser, pode enfrentar todo o Coliseu de uma vez só, ficar fazendo várias batalhas na Arena, visitar os locais da Estação de Teletransporte (conforme forem sendo liberados), dentre outras coisas e aqui que está o problema, sem um caminho pré-definido os jogadores ficam tão soltos que acabam não sabendo utilizar as atrações da ilha de forma adequada. Aqueles que não tem uma grande afinidade com a franquia não são sustentados no início pelos vastos e complexos sistemas de pokémon e são os primeiros a ficarem entediados e abandonarem o jogo. Também não há o consolidado e repetitivo esquema de 8 ginásios dividido por tipos, o que acaba deixando esses jogadores ainda mais perdidos

    Alguns jogadores dão um passeio na praia, capturam um pokémon ou outro e depois tentam vencer todos os ranks do Coliseu de uma vez, mas só conseguem 2 ou 3 e depois de um tempo desistem do jogo achando chato e difícil. Acho que se eu tivesse seguido minha proposta inicial de só habilitar o próximo rank do Coliseu depois que o jogador atravessar as áreas da ilha (exemplo: O rank 2 do Coliseu só ficar disponível depois que o jogador atravessar o túnel) isso teria caído drasticamente.

    Tem jogadores que acham o jogo limitado por ter uma cidade só. Nesse jogo, diferente dos demais de pokémon, ao invés de você ir avançando por várias cidades conforme o seu progresso você vai habilitando os recursos de uma grande cidade ao poucos, mas alguns ficam com a impressão que o tanto de recursos habilitados é inferior nesse esquema.

    Até a série principal já teve problemas com a grande liberdade. O jogo tinha vários esquemas como diversos tipos de pokémon para incentivar o jogador a utilizar uma equipe de 6 pokémon visando tipos diferentes para a melhor ocasião, mas graças a um pequeno descuido no sistema de experiência, no inicio era bem mais fácil usar um pokémon só, ele ganharia mais experiência e graças a seu level maior não seria necessário se preocupar muito com fraquezas. Por isso, a maioria dos jogadores treinava um pokémon só, e usar um personagem só quando se pode utilizar vários trará uma variedade menor para o jogador. Esse problema diminuiu bastante com a chegada de Black/White com a nova fórmula de experiência.

    Agradeço as opiniões de todos, graças a elas acabei pensando bastante em como deixar o jogo menos monótono e tive várias idéias interessantes.

    Ah! E o Mar nem é o maior local do Island!

  4. jente qual e o link

  5. […] O seu artigo mais comentado em 2012 foi Pokemon Island […]

  6. O eurritmia é tipo um James Rolf brasileiro do RPG Maker.

  7. gostei demai do jogo

  8. como deixa os pokemons fora das pokebolas no pokemon island?

  9. […] Pokemon Island em julho/2012 […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: